InícioInício  FAQFAQ  BuscarBuscar  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-se  

Compartilhe | 
 

 Tripla Ameaça: Amy vs. Mickie Cena vs. Tanana

Ir em baixo 
AutorMensagem
.Aimar

avatar

Mensagens : 153
Data de inscrição : 14/07/2011
Idade : 25
Localização : Vila Nova de Gaia

MensagemAssunto: Tripla Ameaça: Amy vs. Mickie Cena vs. Tanana   Qui Jul 21, 2011 12:32 am

Citação :
Situação:
Neste combate, teremos mais um clássico envolvendo as 3 divas que mais marcaram a PWF.

Amy é considerada a melhor diva da PWF de todos os tempos. No seu curriculum apresenta vários títulos de divas da PWF. A sua personalidade bastante confiante e provocadora aliada à sua enorme capacidade em ringue fizeram dela uma das caras da antiga PWF.

Mickie Cena sempre foi a maior rival de Amy e estas duas não se suportam desde que se cruzaram pela 1ª vez. Esta destaca-se pela sua personalidade forte e por ser uma pessoa determinada e que nunca desiste.

Tanana sempre foi uma boa amiga de Mickie Cena, bem como nutre um certo ódio por Amy. No entanto, nunca teve tanto sucesso como as outras 2 e encontra-se determinada em mudar isso.

Boa sorte às 3, as promos fecham na próxima Quarta pelo meio-dia.


Leiam as notas:
Spoiler:
 

_________________

Desire? Obsession? No... RIGHT!
Christian, NEW! World Heavyweight Champion
Voltar ao Topo Ir em baixo
tanana

avatar

Mensagens : 48
Data de inscrição : 14/07/2011
Idade : 27
Localização : Moscavide

MensagemAssunto: Re: Tripla Ameaça: Amy vs. Mickie Cena vs. Tanana   Qui Jul 21, 2011 1:27 am

Uns aninhos depois da PWF ter sido fechada, andava por ai sem nada para fazer em relação ao que ela mais gostava, até ao dia em que recebe uma chamada anónima a convida-la para regressar a nova PWF.

Muito indecisa se haveria de voltar ou não fica muito pensativa, mas ao mesmo tempo até quer aceitar hesitando dar um sim como resposta decide ir em frente.


Bem agora é que vão ser elas, vai tudo voltar a ser como antes.
Mas será que ainda estou em forma? Não pode ser assim tão difícil voltar a ser o que já fui em tempos.
Era uma grande diva, uma grande lutadora, metia medo a algumas pessoas que por ali andavam sem fazer nada, mas também fui muito esquecida pelo presidente que só via as outras duas, que só elas é que importavam, esquecendo-se daquilo que tinha sido para ele e principalmente o que tinha feito por ele. Isso tudo aconteceu depois de Amy ter entrado para a mesma federação, depois disso aconteceu tudo e mais alguma coisa.

Tenho que voltar a ganhar esse respeito que em tempos já tive, pois durante estes anos todos eu tive que me formar noutras coisas e fazer essas mesmas coisas e tive que me aguentar com todas as injustiças que tinham ocorrido a minha volta.

A minha carreira de lutadora já não dava com nada pois não iria para uma federação qualquer, foi então que decidi me formar noutra carreira como a de medicina, ao terminar esta carreira estive em formação num hospital.

Conheci muita gente e ajudei muitas pessoas que estavam muito mal ou até mesmo nas portas da morte.
Cresci muito nessa altura e ao mesmo tempo aprendei como fazer as coisas sempre em condições e sem deixar com que os outros voltem a passar por cima como em tempos tinha acontecido.


As pessoas todas que conheci , souberam aquilo que me tinha acontecido na PWF e sempre me deram força para voltar a fazer o que mais gostava e não desistir só porque tinha acabado aquela federação e muito menos por causa de gentinha como a que havia por lá.

Nunca quis dar importância ao que diziam sobre a federação, mas naquele momento da chamada veio tudo cabeça principalmente todas as injustiças.
Falei com pessoas que sempre acompanharam o meu percurso, ao longo dos anos.
Essas mesmas pessoas disseram que tinha feito muito bem ter aceite o convite, e que sempre fazia falta lá.

“Há só mais uma coisa entra com o pé direito e mostra as tuas colegas aquilo que tu és e que não voltaram a passar-te por cima.”

O que me fui lembrar?!?!?!?!?!

Voltar ao Topo Ir em baixo
amy

avatar

Mensagens : 9
Data de inscrição : 17/07/2011

MensagemAssunto: Re: Tripla Ameaça: Amy vs. Mickie Cena vs. Tanana   Qui Jul 21, 2011 7:42 pm

08:07H

- Bem, parece que vamos ter companhia. – disse Maria ao resto do grupo, rindo-se.
- Psiiiu, óh tu! – disse Maria, dirigindo-se à nova rapariga. Esta, sem medo, avança:
- Que queres?
Maria ri-se e levanta-se… - Que eu quero? - não tendo gostado da forma como a tal rapariga lhe falou, deu-lhe um estalo… - Vais é começar a falar bem para mim, cuidado! A rapariga, sangrando do lábio, ri-se… Maria repetiu a cena e avisou-a mais uma vez. A rapariga voltou a sorrir e disse:
- Não me metes medo… E, quem deve ter cuidado és tu. Que seja a última vez… - Virou as costas e foi embora, deixando Maria desconfortável e furiosa. Todas as outras mulheres que se encontravam no pátio sussurravam com o que se tinha passado, olhavam surpresas para Amy, pois esta enfrentou a líder da prisão, e perguntavam umas às outras o porquê da nova residente estar presa…

Passados alguns dias…

O ódio por Amy aumentava cada vez mais, Maria, juntamente com as suas companheiras, planearam algo: fazer uma espera a Amy para, em seguida, lhe bater e, no final, não querendo matá-la, mas assustá-la de forma que esta não se metesse mais com a líder. Contudo, Amy soube “estudar” a sua rival o suficiente para lhe estragar os planos. Amy lutou contra Maria, não a matou mas foi o suficiente para a deixar sem consciência. As suas companheiras, com medo, fugiram e refugiaram-se nas suas celas.

Três meses depois…

Amy era a nova líder da prisão, se bem que ela não se importava com isso e ninguém se atrevia a confrontá-la, porém, o seu passado continuava uma incógnita. Surgiam a Amy pensamentos que a faziam ficar mais revoltada com tudo e todos… Foram momentos difíceis, desde a sua infância, adolescência, até agora. Amy cresceu num ambiente hostil. Não soube viver aqueles momentos que todas as meninas vivem, não soube o que é brincar nem sorrir de felicidade. O medo perseguiu-a… O medo de que o seu passado voltasse, de reviver tudo. Ao longo da sua vida, fez o necessário para conseguir sobreviver. Roubou, lutou, até que matou e esse foi o motivo que a levou para a prisão…

Era na luta que Amy conseguia descarregar a sua fúria, era naquele pequeno espaço que se sentia bem, os dias iam passando e ela tornava-se cada vez mais forte, o seu medo acerca do passado ia diminuindo… Já era capaz de enfrentar qualquer pessoa que tivesse a intenção de lhe fazer mal, conseguia encarar e até intimidar quem lhe fizesse frente… Apesar de acreditar que tinha superado tudo, na verdade sabia que era mentira. Era apenas uma forma de conseguir esquecer todo o seu sofrimento.

Vingança. Era a palavra que mais pensava, que mais dizia. Para a conseguir tinha de enfrentar aquele que outrora lhe fizera mal. Não era fácil tomar essa decisão, por isso mesmo, decidiu vingar-se em todos aqueles com quem lutava, era uma maneira de não se lembrar, por um momento, de certas coisas. Até que se juntou à PWF, aí lutou com garra, triunfou. Pode-se dizer que era a estrela das Divas. Era arrogante, sim, mas todo este carácter desenvolveu-se em função da tristeza, da angústia e revolta. Mesmo assim, não se sentia satisfeita e quando tudo acabou, decidiu fazer uma coisa que mudou a sua vida e passou algum tempo a planear a vingança. Passado esse tempo, conseguiu e matou o homem que lhe tirou tudo. Matou-o e não se arrependeu.

A verdade é que tinha tudo planeado, mas nada do que pensou aconteceu. Ela combinou um encontro com esse homem, para lhe dizer que tudo o que lhe fizera antes já não tinha importância, que estava disposta a perdoar. Para tal, teve de o atrair até a um lugar e conseguiu. O plano era simples. Queria matá-lo, mas de forma que, no final, se parecesse com um suicídio. Quando proferiu tais palavras, o homem “acreditou” e tentou aproveitar-se dela, foi aí que o seu medo e pânico surgiram. A única diferença é que antes, não sabia como se defender… Agora, tinha a força suficiente para parar com aquele abuso. Ripostou e matou-o. Fê-lo num acto de defesa. Sentiu-se mais livre depois de o ter feito. Conseguiu cumprir o seu objectivo. O problema é que a polícia não acreditou nela. Foi presa. Tinha a consciência limpa, mas não merecia estar naquele lugar imundo. Mais uma vez, defendeu-se do conflito que criou com Maria.

Mas a justiça ainda não tinha sido feita…
Voltar ao Topo Ir em baixo
M.Desrosiers

avatar

Mensagens : 29
Data de inscrição : 14/07/2011

MensagemAssunto: Re: Tripla Ameaça: Amy vs. Mickie Cena vs. Tanana   Qui Jul 21, 2011 9:11 pm

Eram 06:00h. O céu clareava lentamente. Não havia nuvens mas estava aquele fresco da manhã e as ruas ainda estavam desertas. Os lampiões da rua ainda se encontravam acesos. Por uma das ruas, podia observar-se alguém com o passo ligeiro, carapuço na cabeça e mãos nos bolsos, que pára em frente a uma vivenda caiada de branco. A pessoa mete a mão por cima do pequeno portão verde e abre-o. Atravessa o grande e bonito jardim. Chega à porta e bate insistentemente até que alguém dentro de casa grita, um pouco furioso, que já abria a porta. A porta abre-se e a pessoa entra.

Jorge: Mickie? O quê que estás aqui a fazer a esta hora? – Pergunta, enquanto esfrega um olho com uma mão e fecha a porta com a outra.

Mickie: Bem… Tive outro problema… – Respondeu ela, enquanto tirava o carapuço e sacudia o cabelo.

Jorge aproximou-se de Mickie com cara de quem já não estava a gostar da conversa. Jorge e Mickie tinham tido um relacionamento há muitos meses e, depois disso, ficaram muito amigos. Jorge esteve sempre ao lado de Mickie, apoiando-a em tudo e sabia de todos os problemas que se andavam a passar com ela e era ele quem lhe dava sempre na cabeça, pois Mickie parecia ter perdido o juízo.

Jorge: O quê que foi agora?!

Mickie: Fui despedida…

Jorge: O QUÊ?! É a terceira vez este mês!

Desde que a PWF acabou, Mickie nunca conseguiu manter um emprego por mais de dois meses. No último mês trabalhou numa agência de modelos, da qual foi despedida por agredir uma colega. Trabalhou no McDonald’s mas também foi despedida por causar distúrbios com alguns clientes. O seu último emprego foi como funcionária de balcão num banco.

Mickie: Desta vez a culpa não foi minha!

Jorge: Pois, imagino que não… Quê que tu fizeste desta vez, Mickie Cena? – Disse Jorge, com cara de poucos amigos – Tu disseste que gostavas deste emprego e que era para durar!

Mickie: E gostava… Mas…

Jorge: Em quem bateste desta vez?

Mickie: No patrão… – Disse com ar inocente e sorrindo.

Jorge: O quê?! Tu és doida?!

Jorge sentou-se no sofá de pele castanho. A sala era bastante iluminada. Tinha uma grande janela que dava acesso ao jardim. Mickie sentou-se também, tirou as sapatilhas com os pés e pôs os pés em cima da pequena mesa de centro.

Mickie: Estou a dizer-te! Não tive culpa! Fui vítima de assédio…

Jorge: O QUÊ?

Mickie: Disse que eu podia ser promovida se… – Engasgou-se – Que lata! E ainda disse que eu o provocava. Sim, é que ele é lindo de morrer e extremamente interessante!

Jorge ria-se, mas preocupado. A amiga não provocaria ninguém dessa maneira. Mickie nunca mais foi a mesma desde o fim da PWF. Para além de não conseguir manter um emprego, causava sempre problemas onde quer que fosse. Tinha-se tornado numa pessoa muito revoltada e amarga embora houvesse coisas que não tinham mudado nadinha. Nunca aceitou o fim da sua carreira no Wrestling. Dizia sempre que não conseguia fazer mais nada, que mais nada a realizava. A sua vida era dentro do ringue, a lutar.
Voltar ao Topo Ir em baixo
tanana

avatar

Mensagens : 48
Data de inscrição : 14/07/2011
Idade : 27
Localização : Moscavide

MensagemAssunto: Re: Tripla Ameaça: Amy vs. Mickie Cena vs. Tanana   Sex Jul 22, 2011 3:55 pm

Quando Tanana se dirigia para a PWF recebe uma chamada restrita.
Muito intrigada decide atender, coisa que ela não gosta na
da.

Tanana: Sim! Quem fala??

Restrito: Tanana vem urgentemente para o Hospital.

Tanana: O que? Mas agora, agora?

Restrito: Sim. Tem que ser agora, é um caso de vida ou morte.

Tanana: Muito bem, vou já para
ai.

Tanana desliga a chamada.

No caminho até lá ia com a ideia que aquilo só podia ser uma partida de alguém, para ela não chegar a tempo a PWF.

Já no hospital, mal põem um pé lá dentro..


Enfermeira: Tanana, ainda bem que podes-te vir. Não estavas ocupada pois não?

Tanana: Por acaso até estava a caminho de um sitio.

Enfermeira: Não me digas que vais mesmo em frente com essa ideia de regressares?

Tanana: Sim, tenho essa ideia e vou regressar.

Enfermeira: Não podes fazer isso. Fica aqui connosco, não podes nos deixar agora assim.

Tanana: Mas vou regressar e posso sempre fazer voluntariado, para vos ajudar.

Enfermeira: E os teus doentes da manha, como ficam?! Eles sempre te deram força para seguires em frente quando andavas ai de cabeça baixa! Já te esqueces-te disso tudo?

Tanana: Eu não me esqueci, e estou muito agradecida pelo que fizeram por mim, e farei tudo o que estiver ao meu alcance para os ajudar enquando estou fora daqui!
Não será por ir fazer aquilo que sempre fiz e me dá muito mesmo muito gosto fazer que vou esquecer as pessoas que sempre estiveram do meu lado.

Enfermeira: Não há nada que possamos fazer para te tirar essa ideia da cabeça pois nã
o?

Quando Tanana ia a responder entrar um paciente em estado muito grave, e então leva-o para o bloco operatório.
Enquanto fica a tratar do paciente lembra-se que hoje já não irá até ao recinto, mais uma v
ez.
Voltar ao Topo Ir em baixo
amy

avatar

Mensagens : 9
Data de inscrição : 17/07/2011

MensagemAssunto: Re: Tripla Ameaça: Amy vs. Mickie Cena vs. Tanana   Sab Jul 23, 2011 8:28 pm

Junho de 2010

Numa manhã, Amy foi chamada até à sala de visitas. Ficou admirada, não sabia qual o motivo de alguém ir falar com ela. Devido ao passado que teve não conseguiu arranjar amigos, aliás, arranjava-os mas aproveitava-se deles.

Sentou-se na cadeira e baixou a cabeça até que sentiu alguém à sua frente, quando olhou, ficou incrédula, não percebeu como era possível…

No dia da vingança, ela assassinou aquele que lhe fizera mal, assim pensou. A verdade é que o sujeito foi levado para o hospital e conseguiu sobreviver. Enquanto Amy, foi levada para a prisão pensando que o seu pesadelo tinha chegado, finalmente, ao fim. Agora, só precisava de esperar para sair em liberdade. Mas esse homem, José, foi recuperando e também se queria vingar de Amy. Adorou vê-la presa, e ele ali, livre, como se não tivesse feito nada de mal.

Actualmente, José tinha 45 anos. Era padrasto de Amy. Quando conheceu Emília, a mãe de Amy, esta última apenas tinha 3 anos. O ambiente em casa não era o melhor, a mãe não tinha um trabalho certo. Casou-se com José pensando que este era rico. Ela sabia que se conseguisse ter dinheiro podia dar uma vida melhor à filha. O ex-marido deixou-a quando ainda estava grávida. Teve de fazer tudo, sem a ajuda de ninguém. O problema é que Emília enganou-se. Aparentemente, José tinha ar de pessoa com poder, vestia-se bem mas não passava de uma farsa. Durante os anos de casamento entre ambos, Emília sofreu de violência doméstica, ficando, muitas vezes, sem consciência, e assim, José aproveitava-se de Amy que, indefesa, nada podia fazer. Nestas condições, o medo falou mais alto e aos 14 anos foi abandonada pela mãe, ficando só com aquele que lhe causava grande sofrimento; numa noite, Amy fugiu de casa. Desde então, nunca mais viu a mãe, nem manteve contacto com ela. Os anos passaram e Amy tornou-se numa mulher inteligente, bonita, mas sempre lhe faltou, essencialmente, duas coisas para seguir em frente. O amor da mãe e o “obstáculo” que voltou a assombrar-lhe a vida…


- Que estás aqui a fazer? Como é possível estares aqui? Devias ter morrido!– disse de uma forma agitada.

- Pois é, minha querida, sobrevivi. Não é um milagre. (sorrindo) Agora presta muita atenção, a tua vida, neste lugar tão belo, não é nada. Sinceramente, não merecias isto, merecias algo pior. Eu devia de ter acabado contigo naquele dia, eu sabia que tu ias armar alguma coisa, mas como vês, (sorrindo) estou aqui, nunca te vais ver livre de mim. Mas falemos de algo mais alegre, lembras-te daquele dia? Foi um momento tão belo…

- CALA-TE, CALA-TE! Devias de estar morto! - respondeu Amy, bastante exaltada - Eu ainda me vou vingar de tiiiii! – afirmou, sendo já levada pelos guardas para cela.

Na cela…

- Não, este medo não se vai apoderar do meu corpo, da minha mente… Não pode! Durante tanto tempo sempre fui superior a toda a gente. Pessoas medíocres que “comiam” na minha mão, ajoelhavam-se a meus pés… E agora, o meu destino é ficar neste lugar? Não… NÃO! Nem pensar, não vou desistir agora, eu não sou mulher de desistir… Aquele homem não perde pela demora. Vai-se arrepender de tudo o que me fez, tudo mesmo. Quem dita as regras sou eu, eu mando e sempre vou mandar neste “jogo”, que se chama vida. Mas não é aqui que vou alcançar algo que seja. Tenho de arranjar um plano…
Voltar ao Topo Ir em baixo
tanana

avatar

Mensagens : 48
Data de inscrição : 14/07/2011
Idade : 27
Localização : Moscavide

MensagemAssunto: Re: Tripla Ameaça: Amy vs. Mickie Cena vs. Tanana   Dom Jul 24, 2011 12:51 am

5 horas depois

Tanana sai da sala de operações dirige-se até ao seu cacifo para trocar de roupa.
Quando já se encontrava vestida ia a pegar na sua mala é então que repara.


Tanana: Jacinta! Não me queres ver aqui estendida no chão pois não?

Jacinta: Não, claro que não! Mas eu tinha que vir atrás de ti.

Tanana: Eu sei aquilo que tu queres que te diga, mas acho melhor não falarmos aqui! Não é o sitio apropriado para tal conversa.

Jacinta: Ok. Então vamos falar onde?

Tanana: Cala-te e segue me.

Tanana e Jacinta dirigem-se cada uma para o seu carro e vão se embora.
Jacinta sempre indo atrás de Tanana.


Uns 30 minutos depois já se encontravam em casa de Tanana.

Tanana: Vou directa ao assunto Jacinta:

-Eu quero voltar a fazer aquilo que sempre fiz na minha vida, não sei fazer nada mais em condições como aquilo que fazia percebes?

Jacinta: Enganas-te, acredita que te enganas muito. Tu lidas muito bem com os pacientes, alguns só querem ser atendidos, por ti, principalmente quando estás de serviço. E nunca te deixamos para trás, como já fizeram contigo. Tu és uma pessoa 5*, como achas que o resto do pessoal vai ficar?

Tanana: Muitos concordam com a minha ida para a PWF, eu sei que muitos não são todos, mas eu gostava muito de voltar.

Jacinta: Eu percebo que o teu sonho seja aquele e tudo mais, mas nós queremos que te lembres de como és feliz aqui e a fazer o que fazes neste momento. Pensa muito bem naquilo que realmente queres e o mais importante para ti. Porque eu duvido que tu não gostes de praticar medicina, pois se não nunca tinhas vindo para este ramo.

Pensa, pensa muito nisto.

Jacinta sai pela porta da frente dirigindo-se para o seu carro, que se afasta com muita pressa, quase sem se saber quem ia no carro.

Mais confusão para a minha cabeça, primeiro foi o que se passou antigamente na antiga PWF, agora é o trabalho que tenho neste momento e por sua vez que também gosto muito.
Será que fiz bem em ter dito Sim quando me ligaram? Será que mereço dar uma segunda oportunidade na minha carreira de wrestler? Será que vou ser como antes, mas com mais objectivos do que antes?
Será que tudo vai voltar a ser como antes e ser esquecida no mundo da wrestling? Será que conseguirei fazer as duas coisas? Caso decida fazer as duas coisas.
Não irei ter tempo para nada. Terei mesmo que decidir o que fazer o mais rápido possível!


Quem me dera ter a ajuda de alguém neste momento como antes tinha, nestas situações difíceis.
Terei que dormir sobre o assunto e logo verei como será o resto da minha vida profission
al.
Voltar ao Topo Ir em baixo
M.Desrosiers

avatar

Mensagens : 29
Data de inscrição : 14/07/2011

MensagemAssunto: Re: Tripla Ameaça: Amy vs. Mickie Cena vs. Tanana   Dom Jul 24, 2011 3:19 am

Após longos minutos a explicar tintim por tintim o que se tinha passado, Mickie mudou de assunto.

Mickie: Onde está o teu portátil?

Jorge levantou-se e foi ao quarto buscá-lo.

Mickie: Obrigado. Tenho de começar a procurar emprego… Outra vez!

Jorge: Eu já vi isto tantas vezes… – Resmungou, pondo a mão na cara – É isto há quase três anos!

Mickie: Estás a queixar-te? Eu aturo-te sempre com o mesmo discurso! Cala-te e ajuda-me a escolher.

Jorge: Tens é sorte de não teres problemas com dinheiro!

Mickie: Sempre fui poupada e juntei muito dinheiro quando trabalhei na…

Mickie cala-se, olha para o ar e suspira. Por momentos relembrara o seu passado no Wrestling. Aquilo que sempre amou e aquilo que sempre desejou voltar a fazer.

Jorge: Não vais ganhar juízo? Eu sei o que tu querias… Mas acabou. Tens de te conformar!

Mickie: Nunca. Tu não entendes! Eu desde pequena que via os meus ídolos a lutar e sonhava um dia ser como eles. Sonhava tornar-me lutadora profissional e ser uma das melhores divas! Poder pisar um ringue, poder erguer um título, poder orgulhar-me de ser a melhor! Lutei tanto por isso, sofri tanto… E quando consegui, quando cheguei ao topo na melhor Federação de Wrestling, graças ao meu esforço e dedicação, aquele desgraçado fecha a empresa?! Nunca me vou conformar, nunca.

Pairou um silêncio na sala. Mickie procurava mais uma vez, um emprego. Já estava tão habituada que já sabia exactamente onde procurar. Passados alguns minutos, começou a ficar frustrada. Não encontrava nada de que gostasse. Nada lhe chamava a atenção, talvez porque, por mais que procurasse, não iria encontrar o que ela tanto queria voltar a fazer, o que a fazia tão feliz. Fechou o portátil, encostou-se no sofá e fechou os olhos. Jorge estava triste. Não suportava ver a amiga assim. Sabia perfeitamente o que ela sentia e sentia-se frustrado por não a poder ajudar. Doía-lhe o coração vê-la a tornar-se numa pessoa fria, que não se importava com nada e não tinha amor por nada. Desde que a sua carreira acabou, Mickie deixou de medir os actos, parecia ter perdido a noção da realidade.

O toque do telemóvel de Mickie quebrou o silêncio. Ela abriu um olho e olhou de lado para o telemóvel, que estava pousado na mesinha de centro. Não parecia estar com vontade de atender.

Jorge: Não atendes?

Mickie abanou a cabeça, negando. Jorge pegou no telemóvel e deu-lho para a mão.

Jorge: Atende, pode ser importante.

Mickie: Já te disse que és um chato?

Jorge sorriu e apontou para o telemóvel. Mickie atendeu e esteve perto de 12 minutos ao telemóvel. Jorge não percebera muito bem o tema da conversa, já que Mickie pouco respondia. Parecia estar em choque. Quando desligou a chamada, Mickie deixou o telemóvel escorregar das mãos. Jorge só perguntava o que se passava e Mickie esclareceu o amigo. Contou-lhe que a PWF tinha voltado e que aquele telefonema era um convite. Mickie ainda não acreditava. Interrogava-se se seria verdade ou se seria apenas uma brincadeira. Contudo, tinha aceite. Claro que aceitava, era o que ela esperava há anos! Não podia recusar. Os olhos de Mickie brilhavam como Jorge já não via há muito, muito tempo.

Jorge: Vamos festejar!

A rapariga concordou com a cabeça, calçou-se enquanto o amigo se foi vestir e, minutos depois, os dois saíram de casa.
Voltar ao Topo Ir em baixo
tanana

avatar

Mensagens : 48
Data de inscrição : 14/07/2011
Idade : 27
Localização : Moscavide

MensagemAssunto: Re: Tripla Ameaça: Amy vs. Mickie Cena vs. Tanana   Seg Jul 25, 2011 1:52 am

Horas, dias e noites e mesmo assim Tanana ainda não sabia com quem poderia falar.

Depois de mais um dia de trabalho no hospital, decide ir até um ginásio para praticar um pouco, visto que já não faz desporto a uns dias, derivado a confusão que vai na sua cabeça.

No ginásio vê uma pessoa e decide lhe falar.


Tanana: Eu não acredito que tu estas aqui!! Como é possível?

Surpresa: Sim, qual é o espanto?

Tanana: Eras mesmo tu, que eu precisava, mas ao mesmo tempo não sei não.

Surpresa: Bem assim não percebo é nada. Mas é bom ou não tu veres-me?

Tanana: Depende se não fores a correr contar a alguém que me viste.

Surpresa: Claro que não, conta coisas! Vamos beber um sumo de frutos silvestres.

Tanana: Vamos lá.

Durante o sumo Tanana e a pessoa misteriosa, tem uma longa e duradoura conversa.
Passadas algumas horas vai cada um para sua casa. Já em casa Tanana põem-se a pensar naquilo que falou com a tal pessoa e decide então fazer o que lhe tinha dito, mas entretanto olha para as horas e decido não o fazer agora.
Sendo muito tarde, vai para a sua magnifica casa-de-banho, toma o seu banho de espuma relaxante, vai até a cozinha come uma peça de fruta, depois de comer senta-se no sofá a ver um filme e acaba por adormecer de cansaço com o seu telemóvel na mão.
Voltar ao Topo Ir em baixo
M.Desrosiers

avatar

Mensagens : 29
Data de inscrição : 14/07/2011

MensagemAssunto: Re: Tripla Ameaça: Amy vs. Mickie Cena vs. Tanana   Seg Jul 25, 2011 2:04 am

Alguns dias se tinham passado desde aquele inesperado convite. Mickie andava stressada. Não sabia se ainda estava em forma para lutar, tinha receio de já não ser o que era. Para além disso, não conseguia deixar de pensar quem seria a sua adversária. Tentava ao máximo afastar esses pensamentos e concentrar-se nos treinos. Sim, tinha voltado a treinar. Treinou dias a fio, com a garra que sempre teve.

Ginásio – 12:38h

Jorge: Já chega. Passas os dias aqui enfiada!

Mickie: Tem de ser! Tenho de voltar ao que era.

Jorge: Sim, mas vamos fazer uma pausa. Vamos almoçar, estou esfomeado… – Refilou Jorge, passando a mão na barriga.

Mickie acedeu ao pedido do amigo, na verdade ela também já estava a precisar de comer algo. Dirigiram-se para os balneários e 20 minutos depois, Jorge já se encontrava à porta do ginásio à espera de Mickie. Poucos minutos depois a rapariga chegou.

Jorge: Tens sempre de demorar tanto tempo?! Irra!

Mickie: Tenho! – Respondeu, fazendo caretas para o amigo, que caminhava atrás dela.

Os dois foram almoçar a um restaurante ali perto do ginásio. Era um restaurante pequeno, mas muito acolhedor. Tinha mesas pequenas tapadas por longas toalhas encarnadas. Mickie parecia inquieta e preocupada. Foi assim durante todo o almoço.

Jorge: Tem calma. Tu estás preparada.

Mickie: Será que estou? Passaram-se anos e…

Jorge: Onde está a Mickie determinada e forte que eu conheço?!

Determinação. Persistência. Nunca desistir. Sempre foram as palavras de ordem para Mickie Cena. Jorge lembrara-lhe como ela era determinada em tudo o que fazia, lutava até ao fim, sem nunca desistir, por mais que às vezes parecesse impossível. Mickie relembrava alguns desses momentos. Finalmente, percebeu que apesar de tudo o que aconteceu depois do fim da PWF e consequentemente o fim da sua carreira no wrestling profissional, ela continuava a mesma pessoa: lutadora, persistente, determinada e, acima de tudo, apaixonada pelo que fazia.

Saíram do restaurante e caminharam para o carro. Perto do carro havia um poste para o qual Mickie ficou a olhar.

Jorge: O que é? – Perguntou Jorge, enquanto abria o carro.

Mickie: Um cartaz a anunciar o show da PWF…

Jorge: E então, diz quem é a tua adversária?

Mickie arrancou o cartaz e ficou muito quieta, enquanto amassava o cartaz com a mão. A expressão de Mickie mudou completamente. Parecia ter visto o diabo. Fixou o olhar no além. O passado volta sempre para nos assombrar, já devia saber. Não queria acreditar que o seu regresso aos ringues iria ser marcado pelo confronto com a sua rival #1: Amy. E, como se isso não bastasse, uma das suas amigas, a Tanana.

Jorge: Vais demorar muito a dizer?

Mickie: Tanana…

Jorge: A tua amiga?

Mickie: Sim, ela. Mas dentro do ringue não pode haver amigos. É cada um por si. – Respondeu um pouco seca.

Jorge: E é só isso?

Mickie: Não. Tanana e… Amy.

Jorge notara que algo havia mudado. Mickie parecia ter-se transformado de repente. Nunca a tinha visto assim. Em poucos minutos, tudo mudara. Ela esquecera tudo, os únicos pensamentos que pairavam na sua mente eram os do passado na PWF, mais concretamente os combates com estas mesmas adversárias. Havia tanto para mudar. Perder? Era uma palavra que não constava no seu vocabulário. Estava determinada a fazer de tudo para que o que aconteceu na antiga PWF, não voltasse a acontecer. Agora ia ser tudo diferente! Não iria deixar ninguém, mas ninguém, meter-se no seu caminho. Iria vencer, custasse o que custasse.

Jorge: Estás bem? – Perguntou preocupado.

Mickie: Nunca estive eu tão bem! – Respondeu, dando um sorriso muito diferente do habitual.

Jorge: Estás a assustar-me…

Mickie: Empresta-me o teu carro! Preciso de ir a um sítio… – Diz Mickie, tirando as chaves da mão do amigo.

Jorge: Mas…

Mickie meteu-se no carro e arrancou. Algum tempo depois, Mickie pega no telemóvel e marca um número…
Voltar ao Topo Ir em baixo
amy

avatar

Mensagens : 9
Data de inscrição : 17/07/2011

MensagemAssunto: Re: Tripla Ameaça: Amy vs. Mickie Cena vs. Tanana   Seg Jul 25, 2011 11:03 pm

França, Junho de 2011, o dia D?

- É hoje. Vou sair daqui. – afirmou Amy – Mas primeiro preciso de fazer um telefonema… Pssst… Preciso de telefonar. – falando para o guarda.

- Não é permitido. – disse o guarda.

- Por favor… - fazendo um ar triste.

- Pronto, está bem, vai lá. – cedendo.

Amy caminhou até aos telefones, esperando obter uma resposta positiva…

- Estou? Gabriel?

- Amy?? És mesmo tu??

- Sim, sou eu. Tinha saudades…

- Diz, diz! - ficando feliz ao ouvir tais palavras.

- Como estás no mundo dos negócios, vais estar por Espanha?

- Sim, vou para a semana, porquê?

- Oh, que coincidência, também vou estar. Sabes como é, espectáculos. Será que nos podemos encontrar?

- Oh, minha querida, nem precisas de perguntar. É óbvio que podemos!

- Então depois telefono-te para combinar melhor as coisas. Beijo.

Amy desliga o telefone, não dando hipóteses a Gabriel de se despedir.

*

De volta para a cela, Amy deitou-se na cama e ficou com um ar pensativo. Já de noite, quando ninguém está a rondar as celas, ela levanta-se com muito cuidado e coloca umas almofadas na cama, o velho truque. Em seguida, empurra um pouco a cama, até que aparecem dois guardas…

- Que estás a fazer? – disse o guarda 1, olhando para Amy com um ar suspeito.

- Eu? Ah… Nada, estava só à procura da... da... minha escova de dentes, está aqui. – sorrindo, estando nervosa.

- Hum… Bem, anda connosco. – disse o guarda 1.

- Para onde? – respondeu Amy um pouco confusa.

- Vais para um outro lugar…

- Ahn? Porquê?? – disse, não deixando o guarda 2 acabar o que ia dizer.

- … porque amanhã de manhã vais ser levada a tribunal.

- E sabem porquê? – aproximando-se dos guardas, sorrindo.

- Amanhã logo vês. – guarda 1.

Amy ficou na mesma. Mas o que seria? Será que iam dar mais anos de prisão por um acto de defesa? Ela não sabia, queria sair dali mas também estava curiosa para saber o que se ia passar, então decidiu não fugir e esperar. Se as coisas não corressem da melhor forma para Amy, a única solução era fugir. Deitou-se na cama e adormeceu…

- Oh pequenina, que estás a fazer? – dizia José com um sorriso.

- Estou a brincar… A mãe?

- A mãe… - um pouco nervoso - Ela foi dormir, não preocupes… Estás muito bonita hoje… - sorrindo e acariciando a criança.

- NÃÃÃOOO! Não, não! – acorda Amy bastante exaltada – Aiiii que raiva!

08:00H – Tribunal

Amy entra algemada, sendo levada por dois guardas, senta-se e fica à espera que o juiz comece a falar…

- Estamos aqui reunidos para falar sobre a tentativa de homicídio, acto praticado pela senhora Amy. Teve como pena um ano de prisão. A nossa polícia esteve a investigar melhor o lugar do suposto crime e, no meio de umas árvores, conseguiu-se encontrar uma câmara de vigilância. Senhora Amy, pode-nos falar sobre esse lugar? – juiz.

- Ah… era um lugar escuro e se não estou em erro era ao pé de umas caixas de multibanco… - Amy.

- Sim, sim. É verdade que nesse dia, a senhora disparou contra o sr. José para se defender? - juíz.

- Sim… - Amy.

- Hum… Está certo, as imagens mostram-nos isso mesmo. É o seu dia de sorte. Vai sair em liberdade. - juíz.

Amy nem conseguia acreditar no que ouvia. Estava livre. Foi a melhor coisa que podia ter acontecido neste momento. Assim podia tirar da cabeça aquelas preocupações de a polícia andar atrás dela. Amy sorri e, satisfeita, sai da sala, veste a sua roupa, recebe os seus pertences e pôde, finalmente, respirar ar puro.

Amy encontrava-se em França. A PWF dava-lhe forças para continuar em frente, para manter a cabeça ocupada. Podia estar em qualquer lado a pensar na próxima “vítima”, a planear estragos. Era assim a vida dela dentro daquele magnífico “mundo”. Dentro do ringue, podia descarregar toda a sua frustração e sentia-se bem ao fazê-lo, gostava de ver o sofrimento de todas aqueles mulheres que se atreveram a estar no mesmo espaço que ela. Tinha garra, era maravilhosa em tudo o que fazia. Ela era a Amy, a grande, a melhor… Nome que caiu no esquecimento depois da PWF acabar. Como era possível depois de tanto se sacrificar, de dar tudo o que tinha, acabar assim? Não era justo. Teve de seguir caminho, mas não queria fazer mais nada da vida. Tentou encontrar outras federações, mas não era a mesma coisa. Depois de acabar, os pensamentos tristes voltaram a pairar na vida da lutadora. Para tentar esquecer tudo, fez durante um ano uma viagem ao mundo, começou pelos EUA, México, Brasil, depois seguiu para Cabo Verde. Mas algo de curioso aconteceu. O sentimento “invadiu-lhe” a alma. Sim, é verdade, Amy não era uma pessoa simpática, durante o seu percurso no wrestling muitos foram as pessoas que testemunharam o seu mau feitio, mas naquele momento, ao ver aquelas crianças, deixou, por um pouco, a guarda cair…


- Quem me ter sido feliz como estas crianças que se contentam com tão pouco... – baixando a cabeça.

Continuou a sua viagem pela Austrália, Ásia, acabando na Europa, em França, onde foi presa. José tinha trabalho, era camionista. Andava pela Europa a trazer todo o tipo de mercadorias para Portugal. Ainda na sua viagem, Amy viu José a carregar a mercadoria para o veículo e ouvi-o a falar com os colegas que só amanhã se ia embora. Era perfeito para a vingança.

Amy ainda pensava neste momento e desta vez nada ia correr mal, estava livre e não queria ter o azar de visitar o estabelecimento prisional. Amy estava pensar ter a sua vingança em Portugal, mas a sorte estava do seu lado. Depois de sair da prisão, precisava de um lugar para ficar. Foi até a um motel. Ficou alguns dias. Numa manhã, ao sair do quarto para correr, viu um homem. Quando esse sujeito se virou, era José. Escondeu-se até este se ir embora. Foi até à recepção para saber mais informações sobre José.

- Bom dia… Sabe alguma coisa sobre aquele indivíduo que saiu do quarto nº 8? – perguntou Amy.

- Sim, é um camionista. Ele vem sempre para as nossas instalações, passa duas, ou até três noites, quando vêm fazer uns trabalhos. Deve ficar só mais esta noite, mas porquê?

- Ah, desculpe, pensava que era um amigo meu, fiz confusão. Quando ele vier aqui, não comente nada, por favor… - fazendo um olhar à mulher que se assustou e dando-lhe uma nota de 50€. – Obrigada.


Amy virou costas e sorriu...
Voltar ao Topo Ir em baixo
tanana

avatar

Mensagens : 48
Data de inscrição : 14/07/2011
Idade : 27
Localização : Moscavide

MensagemAssunto: Re: Tripla Ameaça: Amy vs. Mickie Cena vs. Tanana   Seg Jul 25, 2011 11:20 pm

Mickie: Estou? Tanana?

Tanana: Mickie?

Mickie: Sim, sou eu! Então, como vai a vida?

Tanana: Uma confusão, nem imaginas!

Mickie: A sério? Que se passa?

Tanana: Olha, podemo-nos encontrar? Há tanto tempo que não falamos e assim pomos a conversa em dia!

Mickie: Claro que sim! Excelente ideia.

As duas combinaram encontrar-se numa esplanada, perto do hospital onde Tanana trabalha. O ambiente era calmo e estava um dia ensolarado e agradável. Mickie chegou antes de Tanana e sentou-se, à espera. Poucos minutos depois Tanana chegou. As duas cumprimentaram-se.

Mickie: Há quanto tempo…!

Tanana: Mesmo! Desde que saímos da PWF, há quê… Uns três anos, não?

Mickie acenou com a cabeça, afirmativamente. Desde aí, nunca mais se tinha visto. A conversa desenrolou-se. Contaram o que tinham feito nos últimos três anos. Mickie não conseguia deixar de estar admirada com as voltas que a vida de Tanana dera. Médica? Quem diria. Mas Mickie sabia que Tanana adorava o Wrestling. Com a conversa, chegaram ao ponto crucial: PWF.

Mickie: E agora? Que pensas fazer?

Tanana: Não sei que fazer… não quero deixar os meus pacientes, mas quero muito voltar a fazer o que mais amo..

Mickie: Eu compreendo-te… Mas tens de decidir. Não vais conseguir conciliar as duas coisas!

Tanana: Que achas que devo fazer?

Mickie: Eu não posso decidir por ti… Mas eu sei o quando gostas de lutar. Tal como para mim, o Wrestling é a tua vida!

Tanana: E se eu durante uns tempos conseguir conciliar os dois? É que não posso também deixar assim o hospital sem mais nem menos.

Mickie: Sim, isso também é verdade. Eu ajudo-te naquilo que precisares, se quiseres.

Tanana: Claro que sim, já tinha saudades dos nossos momentos, antes de aquilo tudo acabar. Estive muitas vezes para te ligar mas tinha sempre medo que o teu número não fosse o mesmo.

Mickie: Eu mantive sempre o mesmo número, tinha fé que um dia a sorte chegasse…

Tanana: Mickie, diz me só uma coisinha. Aquelas notícias que saiam no jornal, a falar de agressões e coisas assim tinham haver contigo?

Mickie: Sim, tinham. Nem imaginas o quanto foram difíceis, para mim estes 3 anos. Sempre tentei, mas nunca consegui seguir em frente e devido a isso, cometi muitos erros… Como pudeste ter conhecimento. Admiro-te por teres conseguido fazer outra coisa a não ser só o wrestling.

Tanana: Não digas isso, tu és fantástica. És a melhor pessoa que eu conheço, nem imaginas mesmo a falta que me fizeste! Mas mudando de assunto. Tu vais voltar, certo?

Mickie: Claro que sim! Nós as duas vamos ter um combate contra a Amy, vai ser um combate ameaça tripla. Como já estamos habituadas…

Tanana: Boa, nada melhor para começar, não achas? Connosco ela não vai ter a mínima hipótese.

Mickie: Claro! Não desta vez, não depois deste tempo todo!

Tanana: No que depender de mim, já sabes que não! Acabaram-se os tempos em que me deixava pisar… Vou mudar isso! E vai começar agora!

Mickie: Exactamente. Vamos mostrar daquilo que somos feitas!

Tanana: Isto vai ser decidido entre tu e eu!


Mickie estende a mão.

Mickie: Que vença a melhor.

Tanana estende a mão e aperta a de Mickie.

Tanana: Que vença a melhor!

As duas continuaram na conversa, durante horas. Estavam determinadas a mudar tudo.

Pensamento de Mickie

“É apenas o início. Se era determinada, agora sou mais. Se era forte, agora sou mais. Se dantes vencia, assim continuarei. “ Mickie estava determinada a vencer, custasse o que custasse. Não se importara com mais nada, apenas queria ouvir o seu nome soar no final do combate. Só isso importa."


Pensamentos de Tanana

"Eu tenho que mostrar aquilo que sempre quis mostrar a toda agente, no ringue eu sou uma das melhores e é se não me tornar na melhor.
Mas antes disso eu e Mickie vamos dar cabo da Amy para depois o combate ser entre nós.
Não vai coisa que me agrade, mas teremos que deixar a nossa amizade de parte e fazer aquilo que nós mais sabemos fazer.
Eu nem quero imaginar como será o dia depois do combate, os meus ricos pacientes vão se assustar quando me virem, mas olha tem que ser assim.
Mas mesmo assim….."




Ps: Promo feita em conjunto com a Magda
Voltar ao Topo Ir em baixo
amy

avatar

Mensagens : 9
Data de inscrição : 17/07/2011

MensagemAssunto: Re: Tripla Ameaça: Amy vs. Mickie Cena vs. Tanana   Qua Jul 27, 2011 9:48 am

Vingança.

seguiu-o durante essa noite. Arranjou um disfarce. Irreconhecível, por um momento.

- Boa noite… - disse Amy.

- Hum, uma menina portuguesa. – disse José, sorrindo.

- Sim… - afirmou Amy, retribuindo o sorriso.

E falaram algum tempo… Amy sentia nojo só de olhar para aquele homem. José olhava atentamente para a jovem, por vezes, parecia que a conhecia de algum lado, mas não quis saber. Estava “cego” por tanta beleza. Perguntou se a podia acompanhar até casa, Amy concordou.

- Aqui? Fica depois desta estação ferroviária? - um pouco apreensivo.

- Ah, sim… - disse Amy.

- Mas não há nada lá ao fundo! – ficando um pouco nervoso – Tem a certeza que é por aqui?

- Então, ficaste com medo? – sorrindo.

No dia seguinte…

Amy sentia-se tão bem. O pesadelo acabara. Finalmente, podia respirar o ar puro, podia sorrir, a sua vida tinha melhorado. E gostava de lembrar aquele momento em que o seu passado morre…

Na noite anterior…

- Se morrer, morres comigo. – agarrando Amy pelos cabelos e puxando-a para a linha. De um momento para o outro, parece que Amy fraquejou mas quando avistou o comboio conseguiu soltar-se, José tentou vir atrás dela mas as suas calças ficaram presas na linha, tentou soltar-se mas não conseguiu, o comboio passou por cima dele.

Nesse momento, Amy sentiu-se aliviada e foi embora. “Dever” cumprido. Agora só queria voltar para Portugal. Na noite em que falou com José, este, por um momento, foi aos lavabos e deixou a carteira em cima do balcão do bar em que estavam. Amy, na altura, agarrou na carteira com papel, para não deixar impressões digitais, e tirou o dinheiro necessário para si, visto que já não tinha o dinheiro que conseguiu arranjar na prisão, tendo-o gasto em roupas, entre outras coisas para esta ocasião, e a sua conta de multibanco não dava para quase nada. Quando Amy decidiu fazer a viagem pelo mundo gastou fortunas nos melhores hotéis, spa’s, etc. O dinheiro que tinha dava para comprar o bilhete de autocarro que a ia levar para Madrid, e não para muito mais.

Nessa manhã, no dia depois do “suícidio” de José, como Amy dizia, estava o céu limpo, sol e um ar fresco. Amy saiu do motel e foi até à estação de autocarros. Comprou o bilhete e esperou a hora de partir. Já no autocarro, encostou-se à janela e, durante o caminho, apreciou a paisagem. Sorriu. Daqui para a frente, mais nada ia correr mal, mais nada ia “bloquear” o caminho de Amy. Sentia-se vitoriosa. Não queria que aquele sentimento acabasse, ninguém iria conseguir estragar este momento, esta felicidade. Ninguém ia tirar o sorriso da face da jovem. Não era aquele sorriso cínico, maldoso… Era aquele sorriso que todos fazem quando a felicidade invade a alma, a mente. Era precioso.

Algumas horas depois, Amy finalmente chega ao seu destino. Antes de partir de França, ligou a Gabriel para combinar o sítio onde se iam encontrar. E assim aconteceu, os dois encontraram-se e falaram. Gabriel estava encantado ao olhar para a amada, Amy nem tanto. Apenas queria uma boleia para Portugal. Gabriel falava, falava, falava… Amy sorria. Mas não era por causa da companhia.

Ao anoitecer, Gabriel e Amy foram a um restaurante. Depois de jantar, ambos dirigiram-se ao hotel, descansando para a viagem de amanhã.


Portugal, Julho de 2011

Chegam a Lisboa. Para dizer a verdade, Amy já tinha saudades de estar no seu país. Gabriel levou-a a casa e depois de algumas indirectas de Amy, para que este se fosse embora, Gabriel nem ligou, acomodou-se ao belo sofá vermelho da ex-Diva.

Durante todo este tempo, o seu telemóvel estava desligado. Amy liga-o, vê as mensagens, as chamadas, não quis saber. Alguns minutos depois, recebe uma chamada, não conhecia o número mas atendeu. Algum tempo de conversa, desligou e sorriu.


- Então, quais são os teus planos para agora? Essa grande tour já acabou? – perguntou Gabriel, curioso.

- Tour? – confusa.

- Sim, tu disseste que andavas a fazer uns espectáculos…

- Ah sim, em pequenas federações… Nada de especial.

- Hum… Então e agora?

- Agora? – sorrindo – Agora uma nova batalha está para vir… - cerrando as mãos.

Gabriel ficou confuso com as palavras proferidas por Amy. Já de noite, despediu-se e foi embora. Amy desceu as escadas que iam dar à sua cave, treinou durante a noite toda. Estava determinada a vencer, mais uma vez. A sua mente estava focada numa antiga coisa. Estava mais forte que nunca. Depois de “enterrar” o passado, tirou um grande “peso de cima”. Era impossível alguém vencer esta mulher que, neste momento, se encontrava mais motivada, com mais garra que nunca teve na vida. A sorte estava do seu lado e ia permanecer do seu lado daqui adiante. Amy seguia um “novo” caminho na sua vida. Obstáculos? Não existiam.

- Vencer! – disse, sorrindo.

Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Tripla Ameaça: Amy vs. Mickie Cena vs. Tanana   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Tripla Ameaça: Amy vs. Mickie Cena vs. Tanana
Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Melhor Dupla em Cena [Oficiais]
» Melhor Dupla em Cena [Paralelas]
» Melhor Cena de Ação [Paralelas]
» Loja de presentes de Halloween
» [Comum] Uma Ameaça de Outro Mundo

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
PWF :: E-Fed :: One Night Stand :: Promos-
Ir para: